Preço na nuvem: É (realmente) complicado


Preço na nuvem: É (realmente) complicado: O preço no mercado de cloud computing é extremamente complexo e nada amigável. Em teoria, o cloud computing oferece um modelo bastante simples para consumir recursos de computação e armazenamento. Clientes demandam capacidade, o fornecedor a fornece e é pago por isso.

Preço na nuvem: É (realmente) complicado: Segundo o novo relatório do grupo de pesquisa 451, infelizmente, o modelo de preços do cloud são atribulados e tornam a decisão de compra difícil para o consumidor, inclusive em relação a comparação de preços entre fornecedores.

Há uma grande variedade de modelos de preços, bem como termos complicados e cheios de jargões que podem tornar o valor do cloud ambíguo. “A cloud computing prometeu uma cobrança simples e baseada em uso de recursos, semelhante a outras utilidades, como eletricidade; Infelizmente, a realidade atual está longe desse ideal”, afirma o relatório.

O 451, descobriu que há uma grande diferença entre os fornecedores quando se trata de preço. O que eles dizem é que isso acontece porque o mercado ainda está tentando ”achar os seus pés”, e por isso ainda não há normas entre os fornecedores, especialmente quando se trata de preço.

Óbvio que isso não é nada bom para os consumidores, que precisam entender cada método e pesar todas as opções ao selecionar um provedor. Além disso, comparar o preço total de uma aplicação entre fornecedores – e calcular o valor de uma série de ofertas – é uma tarefa difícil “.

No entanto, existem algumas possibilidades. A maioria dos consumidores começam a usar o cloud no formato de teste, não se comprometendo com prazos duradouros. Muitos dos provedores tornam isso mais fácil, fornecendo o modelo ”pay as you go”, que permite que os clientes solicitem um serviço e paguem por aquela quantidade requerida. Mais confortáveis com o uso do cloud, eles podem usar modelos de preços alternativos, como a reserva de instâncias por um período mais longo (como por até um ano) e garantir assim custos mais baixos.

Outras formas gerais pelas quais as empresas de cloud computam os preços incluem-se a máquina virtual estar em um ambiente multi-inquilino ou dedicado. Algumas empresas também oferecem preços “spot-market”, em que os usuários licitam sobre o excesso de capacidade na nuvem do provedor. Os custos são divididos por computação, armazenamento e uso de rede, e é cobrado em uma base por GB. Muitas vezes os clientes não antecipam os custos de rede e armazenamento. O que complica a questão é o fato de que de 60 provedores IaaS analisados pela 451, 36% não fornece métricas de preços em seu site.

Por todas essas razões, a 451 recomenda avaliar os provedores com base não apenas no preço, mas em características. Alguns consumidores podem escolher seu provedor de nuvem com base em um recurso único ou na liderança de mercado que aquele provedor pode possuir.

Para fornecer uma prévia sobre a complexidade dos preços da nuvem, aqui estão apenas alguma das maneiras que a 451 descobriu na forma em que os provedores cobram seus serviços:

  • Preços sob demanda: os clientes são cobrados pelo consumo de máquinas virtuais usando um preço unitário fixo;

  • Instâncias reservadas: os clientes recebem uma taxa fixa com antecedência para um serviço e recebem uma taxa de desconto para consumo;

  • Preço spot: O preço de um recurso varia com o tempo e os clientes devem licitar para obter acesso a esses recursos;

  • Acesso pré-pago à VM: os clientes pagam uma única taxa fixa para acessar uma instância especificamente dimensionada no início de um prazo e têm acesso ilimitado à VM durante este período. Pode ser feito em um plano recorrente, que é renovado geralmente a cada mês;

  • Recurso recorrente pooling: os clientes se comprometem a comprar uma quantidade de recursos (número de núcleos de CPU, quantidade de RAM, etc) antecipadamente em uma base recorrente;

  • Consumo Pré-pago: os clientes pagam um valor fixo no início de um prazo e os custos de consumo são debitados desse valor pré-pago. Pode ser feito em um plano recorrente também;

451 fornece uma lista de prós e contras para cada um destes métodos do ponto de vista do fornecedor e do consumidor. O relatório não detalha o preço real dos recursos de computação em nuvem, provavelmente porque essas mudanças frequentemente fazem parte do que alguns chamaram de guerra de preços e correm para o fundo entre os provedores do IaaS. Mas ele mostra o que alguns dos modelos de preços são dos grandes jogadores na indústria. Entre Amazon, Google, Rackspace e Microsoft, a Amazon Web Services é a única a oferecer a demanda, instância local e preços de instâncias reservados.

“Preço na nuvem: É (realmente) complicado”

FONTE: NETWORK WORLD

 


Conteúdos que você pode gostar também:

Inteligência Artificial e os benefícios do deep learning

Inteligência Artificial e os benefícios do deep learning: Junto com diversas pesquisas e descobertas relacionadas ao…

Infrastructure as a Code: Gerencie nuvens com eficiência

Saiba mais sobre o termo Infrastructure as a Code O termo Infrastructure as a Code (Infraestrutura como Código) tem se…

Como migrar pra cloud computing de forma segura?

Dicas de como migrar para cloud computing com segurança O fato de migrar pra cloud computing nada mais é do que uma…